Scroll Top

Câncer de Pâncreas – Causas – Sintomas – Tratamento

Câncer de Pâncreas - Causas - Sintomas - Tratamento

Câncer de Pâncreas – Causas – Sintomas – Tratamento

Nós já falamos sobre o pâncreas aqui no blog, quando comentamos sobre a fibrose cistica.

Não custa, porém, relembrar as funções dessa glândula vital para a nossa existência.

A localização dele é atrás do estômago, na região superior do abdômen.

Ele é vizinho do baço e do duodeno, e tem funções tanto endócrinas quanto exócrinas.

Suas tarefas endócrinas englobam a produção de insulina, o hormônio responsável por regular o índice de açúcar no sangue…

…Já na parte exócrina, produz enzimas que ajudam na digestão e absorção de alguns nutrientes.

Anatomicamente falando, o pâncreas é dividido em três: cabeça, corpo e cauda.

O câncer dessa glândula não costuma acontecer antes dos 30 anos, e apesar de se manifestar em ambos os sexos…

…Costuma acontecer mais entre os homens.

São as pessoas mais velhas que mais sofrem com o câncer de pâncreas… Acima dos 50 anos, principalmente entre os 65 e os 80.

Infelizmente, a massiva maioria dos casos – cerca de 90% – só é descoberta quando já está em um estágio muito avançado.

Isso significa que o tratamento terá apenas fins paliativos.

Isto é, a equipe de saúde vai trabalhar para garantir a qualidade de vida do paciente, mas não poderá proporcionar mais anos a ele.

Aqui no Brasil, o câncer no pâncreas representa cerca de 2% de toda a incidência de câncer.

Sendo que esse tipo de câncer é responsável por 4% das mortes.

É uma patologia de diagnóstico difícil e de agressividade considerável.

 

 

Causas do câncer de pâncreas

 

Não é muito comum descobrir qual é a causa do câncer, mas o cigarro e o álcool aparece como os maiores fatores de risco.

Assim como em muitas outras doenças, o cigarro e bebida podem ser os grandes vilões.

O meu conselho é: abdique desse prazer agora para ter uma vida mais longa e saudável.

Se matar aos poucos é só mais uma coisa ruim que ele faz.

Te proporciona prazer agora e muito sofrimento depois.

Outras causas prováveis são:

  •  pancreatite crônica,
  • diabetes do tipo 2,
  • problemas genéticos,
  • tratamento anterior de radioterapia,
  • exposição prolongada e contínua a pesticidas e demais produtos químicos e até
  • cirurgias para retirar a vesícula ou
  • tratamento de úlceras.

Em grande parte dos casos a doença atinge a parte da cabeça do pâncreas e o tipo mais frequente é o adenocarcinoma.

É provocado pelo tabagismo em 90% dos casos.

 

 

Sintomas do câncer de pâncreas

 

Câncer não mostra que está chegando, geralmente só dá sinais quando está em um estágio avançado.

Por isso o diagnóstico precoce é praticamente impossível.

Os sinais e sintomas dependem geralmente da localização, mas os mais gerais são:

  • perda de apetite,
  • perda de peso,
  • fraqueza,
  • tontura e
  • diarreia.

Além desses sinais, há também:

  • dor abdominal de intensidade variável que pode irradiar para as costas,
  • pele e parte branca dos olhos amarelados,
  • cansaço,
  • anemia e
  • diabetes do tipo 2.

Quando esses sinais aparecerem, significa que as células malignas já invadiram a corrente sanguínea e muito provavelmente já afetaram outros órgãos e outras partes do corpo.

Quando a doença está em um estágio de metástase, isso vai provar que ela se encontra mais forte e mais resistente ao tratamento.

 

 

Diagnóstico do câncer de pâncreas

 

Através dos sintomas e alguns exames que o médico vai pedir é possível realizar o diagnóstico tardio da doença e dar início ao tratamento.

Os exames clínicos feitos em laboratório mais pedidos são o de fezes, de urina e de sangue.

No sangue é medida uma determinada quantidade de proteína que pode confirmar o diagnóstico.

Outros exames que podem ajudar são os de imagem, como:

  • a tomografia computadorizada da região do abdômen,
  • ultrassonografia,
  • ressonância nuclear das vias biliares,
  • biópsia e
  • ressonância nuclear da região do pâncreas.

A glândula fica numa cavidade mais profunda, o que significa que ela fica meio escondidinha no nosso corpo.

O tumor vai se desenvolvendo rapidamente, mas sem demonstrar que ele está lá; sem dor, sem mudança nenhuma no funcionamento do corpo.

Quando ele começa a aparecer, geralmente o problema já afetou outros lugares.

 

 

Tem como prevenir?

 

Não existe outro método de prevenção que não seja se cuidar durante a vida, se cuidar enquanto ainda é jovem, para que os problemas não apareçam mais tarde.

Existe ainda uma dieta consagrada como eficaz na prevenção de todos os tipos de câncer, uma dieta anti-câncer com protocolos e terapias caseiras como o Guia Prático em PDF do Protocolo Natural Anti-Cancer!

O excesso de álcool e o tabagismo são as principais causas do câncer, então basta evitá-los.

Existem outras maneiras de sentir prazer nessa vida, que não sejam prejudiciais para a própria saúde.

As pessoas que têm histórico familiar da doença ou fizeram cirurgia para resolver problemas gástricos, no duodeno e vesícula também precisam de acompanhamento médico.

Ele irá solicitar exames constantes para se certificar de que não há tumores nem desenvolvimento deles.

Quem tem diabetes ou pancreatite crônica, bem como histórico familiar relativo a essas doenças também precisa prestar atenção no pâncreas.

 

 

Tratamento.

 

A cura só é possível quando o diagnóstico é feito precocemente, do contrário, os cuidados são paliativos.

Quando a cirurgia se faz necessária, os médicos costumam optar pela ressecção, mas isso varia de acordo com o estágio do tumor.

Os pacientes que já apresentam metástases ou estão num estado precário de sobrevivência começam o tratamento paliativo imediatamente, para garantir a qualidade de vida.

A radioterapia e a quimioterapia podem servir como um alívio dos sintomas. Ainda existe a opção de cirurgia para retirada completa do tumor, mas isso também vai depender do estado clínico do paciente, ou seja, nem sempre ela é recomendada.

Quando a metástase já atingiu o corpo do paciente, a cirurgia pode ser recomendada para alívio dos sintomas, e além disso também é possível a aplicação de endopróteses, também como tratamento paliativo.

Lembrando que o câncer de pâncreas é uma doença muito grave. Os sintomas dela podem ser confundidos com outras enfermidades, o que dificulta e procrastina ainda mais o diagnóstico.

O mais fundamental para que a pessoa tenha chance de cura é o diagnóstico precoce. Sem ele fica praticamente impossível curar-se desse tipo de câncer.

 

 

 

loading...

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.