Scroll Top

Infecção Urinária: Tratamento, causas, prevenção.

 

Infecção Urinária: Tratamento, causas, prevenção.

Infecção Urinária: Tratamento, causas, prevenção.

 

Infecção urinária é uma condição que se apresenta na vida de 90% das mulheres, e pelo fato de ser comum, pode ser subestimada.

No meio médico, ela é chamada de Infecção no Trato Urinário, porque pode afetar todas as partes referentes à urina, ou seja, uretra, ureteres, bexiga e rins.

Os sintomas são, geralmente, ardência na hora de fazer xixi, um odor forte e aspecto turvo na urina.

Os sintomas variam, porque algumas mulheres não sentem ardência nenhuma, nem dor, o que pode agravar o quadro de infecção.

A infecção trata-se do crescimento rápido e desordenado da flora bacteriana presente no organismo.

A infecção pode afetar qualquer lugar do corpo humano, e quando atinge o sistema urinário, o corpo dá sinais, que são essa ardência, aparência do xixi e odor.

O cheiro vem dos leucócitos mortos que saem junto com a urina, indicando que o sistema está lutando contra a infecção.

É nessa hora que a pessoa precisa se consultar com um médico para realizar exames e conferir se existe mesmo o quadro de infecção.

 

 

Fatores de risco para desenvolver uma infecção urinária

 

A infecção urinária é mais comum nas mulheres porque elas têm o canal da uretra menor que o dos homens, então o caminho que a bactéria precisa percorrer para chegar na bexiga é menor.

Mas os homens também precisam se cuidar.

Ter uma vida sexual ativa também é um bom fator de risco para adquirir uma infecção urinária, porque entramos em contato com os tecidos de outra pessoa.

Por isso, sempre que tiver uma relação sexual, use camisinha e faça uma boa higiene depois.

Nem por isso você precisa parar de fazer sexo, fique tranquilo, basta se cuidar.

O uso inadequado de alguns contraceptivos, como os espermicidas e outras opções mais invasivas também são um fator de risco importante.

Além disso, depois da menopausa, ocorre uma queda de estrogênio, o que causa mudanças no trato urinário e o deixa mais vulnerável às bactérias.

Qualquer problema preexistente, como pedra nos rins e aumento da próstata também são considerados predisposições a desenvolver uma infecção.

Doenças que suprimem o sistema imunológico, como as autoimunes e a aids também são fatores que ajudam a desenvolver infecções – não somente urinárias, mas qualquer outro tipo de crescimento bacteriológico.

 

 

Os sintomas

 

Como eu já disse acima, os sintomas variam bastante e nem sempre uma pessoa vai percebê-los.

Porém, caso você esteja com qualquer uma das sensações abaixo, é bom procurar um médico especialista.

  • Ardência de níveis leve a forte ao urinar
  • Necessidade forte de se aliviar, mesmo tendo acabado de fazer xixi
  • Urina escura, turva ou com sangue
  • Cheiro muito forte na urina
  • Dor na pelve
  • Dor no reto
  • Aumento da frequência de micções

Quais exames o médico vai pedir?

 

Uma infecção acontece por causa do aumento excessivo das bactérias, portanto os exames vão procurar pelo aumento da produção de leucócitos, que são os soldadinhos do nosso organismo, presentes no sangue.

O método mais frequente de diagnóstico é o exame de urina; ela é analisada e o resultado sai em torno de duas horas, aproximadamente.

Outro exame é a cultura da urina, que se trata de uma análise feita no laboratório em que o médico vai usar a amostra do paciente para descobrir de qual bactéria se trata a infecção.

Isso acontece porque alguns medicamentos são mais eficientes que outros para determinados tipos de bactérias.

Existe uma larga gama de medicamentos justamente porque há uma larga variedade de bactérias, e elas podem ficar resistentes ao medicamento, quando ele é ministrado de maneira incorreta.

Por isso há tanta importância em seguir as recomendações do médico.

Os exames de imagem – tomografia e ultrassom – também podem ser pedidos para identificar possíveis anormalidades no trato urinário.

Da mesma forma, podem ser pedidos exames com contraste para evidenciar as regiões que tenham algum problema, no trato.

Esses exames podem ser exigidos pelo médico especialista no caso das infecções serem frequentes.

O último exame que também faz parte do diagnóstico é a cistoscopia, que analisa as partes interiores da bexiga e uretra, buscando identificar o motivo da infecção.

Esses últimos exames são menos comuns, mas se o médico pedir, faça, porque ele sabe o que está dizendo, certo?

 

Tratamento

 

O tratamento consiste em tomar antibióticos, que vão ajudar os leucócitos a combater as bactérias.

É sempre bom lembrar que os antibióticos são os remédios mais perigosos, porque se você deixar de tomar as doses corretamente, a bactéria pode se tornar resistente e o remédio passa a não fazer mais efeito.

Dessa forma, você vai precisar tomar um mais forte ainda.

A regra de tomar o remédio na hora certa e pelo tempo previamente determinado é muito importante em qualquer doença e qualquer tratamento…

Porém, com os antibióticos é necessária uma atenção especial.

Se tiver muita dor, o médico ainda pode receitar um analgésico, para aliviar os sintomas e ajudar no tratamento.

Não é considerado parte do tratamento, mas uma dica que o especialista com certeza vai te dar é a seguinte: beba o máximo de água que puder.

Quanto mais xixi sair, mais bactéria vai junto com ele e melhor o seu corpo estará munido de defesas.

Pode parecer besteira, mas não é; o seu corpo é formado de 70% água, esqueceu?

Beba muita água!

 

Infecção Urinária: Tratamento, causas, prevenção.

Infecção Urinária: Tratamento, causas, prevenção.

 

Complicações

 

Se não for tratada, a infecção urinária pode sim se complicar.

Ela pode “subir” para os rins e causar danos permanentes a eles.

Outro problema gravíssimo que pode ser causado pela negligência à uma infecção é a sepse, que é a infecção no sangue.

Quando as bactérias caem na corrente sanguínea, elas podem se espalhar pelo corpo todo e levar até à morte… Principalmente crianças e idosos.

No caso das gestantes, ela pode até causar complicações no desenvolvimento do bebê.

 

 

Recomendações para prevenir

 

Todo mal que pode ser prevenido não tem motivos para acontecer, não é mesmo?

Portanto as ações abaixo são pequenas, rápidas e podem evitar bastante dor de cabeça!

  • Beba muita água, todos os dias.
  • Não descuide da higiene, sempre que tiver relações sexuais ou for fazer suas necessidades.
  • Urine depois das relações sexuais para aliviar a bexiga.
  • Evite usar absorventes internos.
  • Não use duchas nem sprays em pó. Até alguns sabonetes íntimos não fazem bem para algumas mulheres.
  • Evite as calças muito apertadas, e sempre que tiver chance, fique sem calcinha para deixar os genitais respirarem.
  • Use calcinha de algodão, de preferência, assim a absorção de fluidos corporais é melhor.

 

 

 

 

 

 

loading...

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

  1. Erika disse:

    Ótimo artigo! Fácil compreensão! Exatamente o que eu procurava.

    Parabéns!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.