Scroll Top

Teixobactin Pode Ser o Fim da Resistência a Antibióticos

Teixobactin Pode Ser o Fim da Resistência a Antibióticos

Teixobactin Pode Ser o Fim da Resistência a Antibióticos

 

Ter uma infecção bacteriana não é nada fácil desde uma simples inflamação de garganta a uma doença mais grave, pode haver complicações.

Você sabia que o grande problema de doenças bacterianas é que a grande maioria das bactérias já estão resistente aos medicamentos?

E que isso dificulta o tratamento?

Mas a ciência a cada dia que passa tem evoluído mais e mais no que se refere à descobertas de novos medicamentos para curar doenças em geral.

A mais recente descoberta cientifica se refere a um medicamento especial, o Teixobactin.

Cientistas em busca de novos medicamentos para curar doenças bacterianas descobriram uma potencial nova classe de antibióticos que parecem parar infecções de micróbios resistentes aos medicamentos.

As pesquisas ainda estão no início de seu desenvolvimento, mas já revela uma boas notícia durante um momento em que as autoridades mundiais de saúde alertam sobre os perigos de espécies microbianas mais em desenvolvimento de resistência às drogas.

A Organização Mundial de Saúde, por exemplo, fez soar o alarme sobre uma “era pós-antibiótico”, em que infecções comuns e ferimentos leves que têm sido tratável por décadas, podem voltar a matar.

 

 

Teixobactin a nova descoberta da ciência

 

A descoberta da droga, chamados agora de Teixobactin, veio após a triagem de 10.000 compostos produzidos por bactérias que vivem no solo, que nunca tinham sido cultivadas.

Em um estudo publicado na revista Nature, a equipe afirma que a droga funciona por perturbar a construção das paredes das células bacterianas.

Eles foram agradavelmente surpreendidos ao descobrir que a forma como a droga funcionou não parecem ser parados por cepas bacterianas que tinham evoluído a capacidade de sobreviver ao ataque de antibióticos.

Segundo os pesquisadores “Logo no início, vimos que não houve desenvolvimento de resistência aos teixobactin“, disse o co-autor do estudo Kim Lewis, o diretor da Universidade NortheasternAntimicrobial Discovery Center.

“Este foi, naturalmente, uma característica incomum e intrigante do composto.”

 

Como atua o Teixobactin?

 

Teixobactim

Teixobactim pode ser o fim da resistência a antibióticos

 

 

Os cientistas descobriram que o medicamento tem como alvo a síntese da parede celular bacteriana, que é a estrutura mais importante para a sobrevivência das bactérias.

O Teixobactin se liga especificamente a blocos de construção da parede celular altamente conservada e assim elas não conseguem “fabricar“ a sua parede celular e acabam morrendo.

Assim, a grande diferença que torna este medicamento especial é que por não atacar as proteínas da bactéria não há como o microorganismo criar resistência ao longo dos anos.

A via de ação do Teixobactin segundo os especialistas representa um salto especial para a ação de antibióticos.

 

Fase experimental

 

A descoberta, que tem demonstrado sucesso ao tratamento de infecções pulmonares e do sangue de bactérias resistentes aos antibióticos em animais, ainda tem um longo caminho pela frente antes que ela possa ser prescrita para seres humanos doentes.

Os estudiosos alegam que podem começar a fazer testes clínicos em humanos daqui uns dois anos, se tudo correr bem.

O grande entrave ainda é que o desenvolvimento que irá melhorar características como baixa a solubilidade do fármaco em água, deverá custar centenas de milhões de dólares.

 

 

Funcionará para todas as bactérias?

 

A descoberta dessa nova classe de antibióticos poderia ajudar a lidar com o crescente número de micróbios resistentes que respondem a uma lista cada vez menor de drogas.

Ainda assim, devido à fonte bacteriana específica da droga, que pode apenas tratar infecções por certos tipos de bactérias.

Na verdade, o antibiótico foi isolado a partir de uma bactéria gram-negativa chamado Eleftheriaterrae, e só pode matar as bactérias gram-positivas, como os que causam infecções por estafilococos e estreptococos.

Embora este seja um grande passo para a frente, esta nova descoberta não seria adequada para o tratamento de infecções causadas por E. coli, Klebsiella ou outras bactérias Gram-negativas.

Estas bactérias ainda são o foco de muitas preocupações sobre a resistência aos antibióticos e para encontrar um novo tratamento potencial para estes seriam um grande avanço.

Como o medicamento ainda está em fase de estudo pode haver mais descobertas sobre os segredos teixobactin que podem trazer boas novas noticias.

O método pelo qual os cientistas desenvolveram o medicamento deve ajudar na busca de novos compostos antimicrobianos. Até 99% das espécies de bactérias ainda não foram investigadas para os produtos químicos que produzem.

Qualquer uma dessas espécies que produz um composto útil poderia ser mais uma arma na corrida constante entre a humanidade e os micróbios que nos prejudicam.

Se você gostou das dicas e informações compartilhadas neste post, considere compartilhá-lo com seus amigos. Se achar que faltou alguma informação neste artigo, não se esqueça de deixar um comentário!

Você vai compartilhar esse conteúdo agora mesmo ou vai tomar um cafezinho primeiro?

 

 

 

 

loading...

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.